Notícias

27 de junho de 2022

Mobilidade Internacional Santander – América Latina, Espanha e Portugal – Alunos de Graduação

Encontram-se abertas entre os dias 11 e 19 do próximo mês de agosto as inscrições para o edital 1553/2022 do Programa de Mobilidade Internacional Santander – América Latina, Espanha e Portugal, para alunos de Graduação da USP, para concessão de bolsas.

Serão 60 bolsas no valor de R$ 14.000,00 (catorze mil reais), a serem distribuídas de acordo com a ordem decrescente da Média Normalizada por Turma dos inscritos no edital, sendo:
– 20 bolsas para intercâmbios, tendo a América Latina como destino;
– 20 bolsas para intercâmbios tendo a Espanha como destino;
– 20 bolsas para intercâmbios tendo Portugal como destino.

Este Edital e todas as publicações a ele referentes ficarão disponíveis na área pública do Sistema Mundus (VER AQUI) – (não é necessário login no sistema, nem filtro na busca pelo edital), sob o código 1553, até consumada a providência que lhe disser respeito.

Para esclarecimentos de eventuais dúvidas acerca de benefícios, requisitos gerais e específicos, o candidato deve consultar o escritório internacional da sua Unidade USP de origem. (VER AQUI).

Para consultar o edital, clique AQUI.

Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

27 de junho de 2022

Inscrições abertas para o “Programa Nascente”

Criado em 1990, o Programa Nascente USP é uma relevante iniciativa de fomento à cultura direcionada aos discentes regularmente matriculados em cursos de graduação e em programas de pós-graduação da Universidade de São Paulo.

Com o intuito de melhor divulgar essa importante atividade cultural e de fomentar a participação dos discentes dos campi do interior, a pedido da Pró-Reitora, Profa. Dra. Marli Quadros Leite, solicitamos seu apoio no sentido de divulgar e fazer chegar aos alunos dos campi do interior, de maneira mais próxima e personalizada, as informações do Nascente. Da mesma forma, fazer chegar e contar com o apoio dos setores de divulgação do campus para que se possa ampliar o alcance por meio das redes sociais, nos parece muito importante.

As inscrições para a edição 2022 estão abertas até as 23h59 de 4 de julho e os discentes podem se inscrever nas seguintes categorias: Artes Cênicas; Artes Visuais; Audiovisual; Design; Música Erudita; Música Popular e Texto.

O Programa se traduz como oportunidade para que todos os discentes, independentemente de sua área de especialização acadêmica, possam participar de atividades culturais da Universidade e demonstrar seu potencial artístico cultural.

O site com todos os detalhes do Programa e seu canal de inscrições está disponível AQUI.

Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

24 de junho de 2022

Superposição e emaranhamento quânticos: A segunda revolução quântica e a interferência entre ondas eletromagnéticas

O IFSC/USP realizou no dia 24 de junho mais um seminário, este subordinado ao tema “Superposição e emaranhamento quânticos: A segunda revolução quântica e a interferência entre ondas eletromagnéticas”, apresentado pelo Prof. Celso J. Villas-Boas, do Departamento de Física da UFSCar.

Em sua apresentação, o palestrante começou por sublinhar que a superposição de estados e estados emaranhados são aspectos que vem intrigando cientistas ao longo de toda a história da Teoria Quântica, dando origem a questionamentos famosos como aqueles introduzidos por E. Schrodinger, em seu famoso paradoxo que leva o seu nome, e por A. Einstein, B. Podolsky e N. Rosen, que ficou conhecido como paradoxo de EPR.

Hoje, tais aspectos peculiares da Teoria Quântica voltam a chamar a atenção pois têm permitido o desenvolvimento de protocolos de comunicação intrinsecamente seguros e computadores que podem ser milhares/milhões de vezes mais rápidos que os maiores supercomputadores clássicos atuais.

Em sua apresentação, o docente comentou alguns aspectos sobre os avanços que foram feitos nessas áreas, tendo apresentado uma iniciativa, em parceria com o Centro de Pesquisas Avançadas Wernher von Braun, de Campinas (SP),  que visa o desenvolvimento tais soluções/tecnologias para o mercado nacional e global.

Na sequência, o palestrante discutiu, de forma resumida, um resultado que seu grupo obteve recentemente, onde foram empregados estados emaranhados de dois ou mais modos do campo de radiação para poder reinterpretar um fenômeno clássico bem conhecido – a interferência entre ondas eletromagnéticas.

Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

24 de junho de 2022

Pesquisadores do IFSC/USP e do CEPOF desenvolvem primeiro relógio de átomos frios do Brasil

Pesquisadores do IFSC/USP e do Centro de Pesquisa em Óptica e Fotônica (CEPOF) desenvolveram o primeiro relógio de átomos frios do país, que visa maior precisão na análise dos padrões atômicos de frequência. Com átomos resfriados a cerca de um microkelvin acima do zero absoluto (0,000001 K = -273,149999 ºC), torna-se possível uma análise mais aprofundada, pois os efeitos de velocidade alta dos átomos são reduzidos. Consegue-se ter, assim, uma referência de frequência com muito mais resolução do que a existente em um relógio comercial, justamente por esses átomos estarem muito frios e em velocidade muito baixa (eles se movem cerca de um centímetro por segundo nessas temperaturas, quando comparado a velocidades da ordem de 400 m/s à temperatura ambiente), dando a possibilidade de interagir muito tempo com esse sistema atômico e quanto mais tempo se interage com ele, maior a qualidade da informação retirada.

O pesquisador Daniel Varela Magalhães, que trabalha e lidera essa linha de pesquisa, chamada metrologia científica de tempo e frequência, explica como o relógio de átomos frios se diferencia dos demais. “Se eu tiver um átomo em temperatura ambiente ele se move em uma velocidade muito alta, fazendo com que o tempo de interação com ele seja limitado e, consequentemente, haja uma informação extraída de qualidade inferior. O resfriamento do átomo o deixa mais “parado” e permite maior tempo de análise. O átomo torna-se um sistema de referência melhor. Você deixa o grupo de átomos bem quieto, a uma temperatura de um microkelvin acima do zero absoluto. Mesmo que você pare de aprisioná-lo, tornando-o livre e com menos perturbações possíveis, você tem mais tempo de interagir com ele”.

As pesquisas desenvolvidas pelo grupo, principalmente na definição de padrões atômicos de frequência, são fundamentais para o bom funcionamento de tecnologias de telecomunicação e de navegação, sendo inseridas na rotina diária de muitas pessoas. Por exemplo, nas telecomunicações exigem-se fontes de frequência estáveis para um funcionamento adequado, pois variações no tempo prejudicam estas tecnologias. Na navegação, ou nos celulares, há uma relação direta entre os relógios atômicos e o bom funcionamento do GPS, como explica o pesquisador.  “Em cada satélite GPS você tem pelo menos três relógios atômicos funcionando de forma redundante, para dar estabilidade de frequência e para que eles consigam se localizar em relação aos outros satélites do sistema GPS. Este sinal, que é sincronizado, é passado para um sistema de GPS comum, como os do nosso celular. O nosso celular recebe o tempo de cada um desses satélites e ele faz uma diferença de tempo de chegada de cada um deles, que é como funciona o receptor de GPS. Se todos os satélites estão sincronizados e eu recebo sinal de todos eles, mas em tempos ligeiramente diferentes, é porque eu estou mais distante daquele que teve o tempo de chegada um pouco mais atrasado e assim você se localiza frente ao satélite, sabendo a posição e o tempo deles”.

Com o relógio de átomos frios, espera-se que, uma vez estabelecida essa medida de alta resolução de frequência, se consiga usá-la para calibrar outros sistemas, como base para o receptor de satélite, não só para localização do receptor, como para receber, em alta qualidade, a coordenada de tempo. O sistema utilizado em laboratório para a análise desses átomos, chamado de “chafariz” (pois joga-se a amostra de átomos para cima e espera-se que ela caia pela gravidade, como um chafariz), consegue uma resolução fantástica ao interrogar os átomos, visto que como eles estão muito frios, ficam muito tempo confinados num formato que se parece com uma bolinha, e essa bolinha se expande muito devagar, permitindo maior tempo de análise.

Outro projeto do grupo é o desenvolvimento de relógios de átomos frios compactos. Estes sistemas não lançam os átomos para cima, como chafariz (inviável no sistema compacto), mas resfriam os átomos e, enquanto eles caem, interagem com eles. Mas ele está tão frio, que se consegue também interagir por tempo suficiente para uma ótima resolução. O desenvolvimento do relógio em sistema compacto permitirá aplicação em sistemas diversos e ampliação da pesquisas para outros centros de investigação.

No mundo apenas 8 países trabalham com o relógio de átomos frios. No Brasil, o relógio ainda não está operacional, mas espera-se que ainda este ano este cenário mude.

(Texto: Barbara Maia – CEPOF)

Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

23 de junho de 2022

Grupo de Biotecnologia Molecular do IFSC/USP oferece oportunidade de bolsas de Doutorado Direto / Doutorado / Mestrado

O Grupo de Biotecnologia Molecular (GBM) do Instituto de Física de São Carlos da Universidade de São Paulo (IFSC-USP) está procurando candidatos para bolsas de Doutorado Direto/Doutorado e/ou Mestrado nas áreas de Biologia Molecular, Bioquímica, Engenharia Bioquímica, Fermentação ou áreas correlatas.

O(A)s candidato(a)s irão participar do projeto que envolve colaboração com uma empresa biotecnológica, visando a descoberta, caracterização e produção heteróloga de novas enzimas ativas em carboidratos complexos com potencial aplicado.

Os candidatos qualificados devem manifestar seu interesse, enviando por e-mail com assunto “DDM Biomol” seu currículo lattes e histórico de graduação da Universidade ao Prof. Igor Polikarpov, IFSC-USP, pelo e-mail: ipolikarpov@ifsc.usp.br.

 

 

Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

22 de junho de 2022

Duas vagas para estagiários no IEA-USP Polo de São Carlos – Inscrições entre 20 de junho e 30 de julho de 2022

O Instituto de Estudos Avançados da USP, Polo de São Carlos (IEA/USP) está selecionando dois estagiários para desenvolverem atividades naquele órgão.

A primeira vaga é para o desenvolvimento de atividades de apoio administrativo e de informática no IEA-USP Polo São Carlos. Participará das atividades de apoio à organização de reuniões e eventos do IEA-USP Polo São Carlos e também de atualização do portal e redes sociais do IEA.

Requisitos: estar cursando curso de Graduação em Administração ou Informática (estar matriculado nos períodos: 3º, 4º, 5º ou 6º período)

Período de inscrição: de 20 de junho a 30 de julho/2022.

Documentos necessários: certificado de matrícula e histórico escolar completo.

As inscrições poderão ser feitas através do e-mail: ieasc@sc.usp.br

Carga horária: 20 (vinte) horas semanais

Duração: 12 meses

Valor da remuneração: O estagiário selecionado será remunerado mediante bolsa de complementação educacional, cujo valor será de R$ 808,00, em jornada de atividade de 20 (vinte) horas semanais, sem vínculo empregatício com o IEA-USP Polo de São Carlos.

A segunda vaga destina-se a apoiar as atividades mantidas pelo IEA-USP Polo de São Carlos relacionadas à difusão científica e apoio ao ensino nas Escolas Públicas (EP) nas áreas de ensino de fundamentos de computação e uso pedagógico da informática.
A atividade compreende também a inserção de matérias relativas a difusão científica e de apoio às EP nas diversas sessões do Portal CiênciaWeb cujo endereço eletrônico é www.usp.br/cienciaweb.

Requisitos: estar cursando Graduação em qualquer curso da USP (estar matriculado nos períodos: 3º, 4º, 5º ou 6º período letivo)

Período de inscrição: de 20 de junho a 30 de julho/2022.

Documentos necessários: certificado de matrícula e histórico escolar completo.

As inscrições poderão ser feitas através do e-mail: ieasc@sc.usp.br

Carga horária: 20 (vinte) horas semanais

Duração: 12 meses

Valor da remuneração: O estagiário selecionado será remunerado mediante bolsa de complementação educacional, cujo valor será de R$ 808,00, em jornada de atividade de 20 (vinte) horas semanais, sem vínculo empregatício com o IEA-USP POLO SÃO CARLOS.

Para obter mais informações sobre estas duas vagas, envie email para  rosemari@sc.usp.br

Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

22 de junho de 2022

A importância da eletrônica orgânica e da inteligência artificial – Um mundo de aplicações para o futuro próximo

INEO – IFSC/USP

Células solares, transístores, equipamentos flexíveis, e sensores que as pessoas podem colocar na pele para monitorar sua saúde. Estes são alguns (pequenos) exemplos do que a eletrônica orgânica já está fazendo; muito mais se espera para o futuro próximo com materiais moleculares para uma infinidade de aplicações.

A eletrônica orgânica

Enquanto a eletrônica tradicional é toda constituída por materiais inorgânicos – semicondutores inorgânicos, como o silício, a eletrônica orgânica emprega um sem-número de materiais orgânicos. Isso traz a vantagem de grande variabilidade de materiais para desenvolver dispositivos com baixo custo, sem necessitar de fábricas com imensas salas limpas e infraestrutura cara, como a exigida na produção de chips de semicondutores inorgânicos. Exemplos de aplicação de materiais orgânicos são de tintas para recobrir paredes e aumentar o conforto térmico ou gerar energia; um telhado coberto de células solares para captação de energia do sol, ou uma película na janela que muda a cor e absorve o calor para economizar energia…

A eletrônica orgânica provavelmente não vai substituir a eletrônica tradicional em todas as aplicações, principalmente naquelas que requeiram altas velocidades de processamento, como nos computadores tradicionais. Para tal desempenho, não se antevê a substituição dos semicondutores inorgânicos no futuro próximo. Por outro lado, com a eletrônica orgânica podem ser obtidos dispositivos flexíveis, dobráveis, aderidos ao corpo humano e até implantados. O estudo de materiais para eletrônica orgânica, mesmo nos casos em que não há um dispositivo em mente, pode também ser útil para outras áreas de aplicação.

Eletrônica Orgânica no IFSC

O IFSC/USP tem presença forte nesse campo de pesquisa e inovação, sendo a sede do Instituto Nacional de Eletrônica Orgânica (INEO), coordenado pelo Prof. Roberto Mendonça Faria. Para além do estudo de dispositivos, como alguns já mencionados, no INEO investigam-se também materiais de interesse biológico, com atuação multidisciplinar envolvendo pesquisadores de química, física, engenharia e ciências biológicas. Grande ênfase é dada a três temas: biossensores para diagnóstico, uso de modelos de membranas celulares para investigar a ação de fármacos, e novos materiais para a computação.

Como explica o Prof. Osvaldo Novais de Oliveira Junior, membro do INEO, um dos objetivos é desvendar mecanismos de resistência a medicamentos. “Por exemplo, para combater bactérias superresistentes, novos antibióticos e materiais naturais antimicrobianos são estudados, pois a ação de qualquer fármaco depende da interação com as membranas das células. Esse tipo de estudo fundamental permite identificar moléculas para combater bactérias multirresistentes, um dos grandes desafios, hoje. De fato, há um esforço mundial para estudar novas moléculas que possam servir de antibiótico, e as pesquisas do IFSC/USP fazem parte desse esforço global”, enfatiza o pesquisador. Ainda nesse tópico, investigam-se os processos de resistência a quimioterápicos, essenciais para interromper tratamentos que não estão sendo eficazes.

Outro tópico das pesquisas no INEO é relacionado à possibilidade de fazer computação com materiais orgânicos, como polímeros. Esta é uma área de fronteira, que pode mudar completamente a maneira de se fazer computação, que conta com um especialista no IFSC/USP, o Prof. Gregório Couto Faria. Ao invés de se ter um material inorgânico duro, que faz os processamentos nos chips atuais, poder-se-á ter o que se chama de computação neuromórfica. Em muitos aspectos, é um processamento que se assemelha ao que faz um cérebro humano para realizar funções de armazenar informação. “Há muita pesquisa nessa área, mas sem sistemas comerciais ainda”, destaca o Prof. Osvaldo.

O terceiro tópico de destaque no INEO, na perspectiva de aplicações biológicas, é o da fabricação de sensores e biossensores para diagnóstico, que hoje está crescentemente associado à inteligência artificial.

Inteligência artificial para diagnóstico

Prof. Osvaldo Novais de Oliveira Junior

Os sensores e biossensores desenvolvidos no IFSC/USP têm potencial aplicação em saúde, para diagnóstico de diversos tipos de doenças, e para monitoramento ambiental. “Para melhorar a qualidade do diagnóstico, em colaboração com colegas de várias outras instituições, passamos a empregar algoritmos de aprendizado de máquina, ou seja, a inteligência artificial, para tratar os dados. Hoje, fazemos diagnóstico usando uma combinação de sensores, línguas eletrônicas e biossensores, cujos dados são analisados com métodos de aprendizado de máquina”, sublinha o Prof. Osvaldo.

Em artigo científico publicado no último mês de maio na Revista Talanta (VER AQUI), uma equipe de várias instituições empregou uma língua eletrônica para o diagnóstico de câncer de boca a partir de amostras de saliva de pacientes e voluntários. Apesar de ter sido usado um número relativamente pequeno de amostras de pacientes do Hospital de Amor de Barretos, o acerto do diagnóstico foi alto, inclusive para distinguir casos de câncer no assoalho ou no céu da boca. Uma alta taxa de acerto só foi possível com o emprego de algoritmos de aprendizado de máquina, e mais importante: foram combinadas medidas elétricas da língua eletrônica com informações clínicas. Segundo o Prof. Osvaldo: “Tínhamos informações desses pacientes e voluntários, como idade, sexo, se eram fumantes ou ex-fumantes, se já tiveram problemas com alcoolismo. Usando essas informações com os algoritmos de aprendizado de máquina, obteve-se uma precisão maior no diagnóstico. Além disso, foi possível determinar quais fatores dos dados clínicos são relevantes para o diagnóstico. Descobrimos que o alcoolismo tem correlação positiva com câncer de boca. Ainda não podemos afirmar que esse resultado seja conclusivo, porque o número de pacientes era pequeno. Mas parece haver maior propensão ao câncer de boca para pessoas que sofrem de alcoolismo, um tema que merece mais investigação.”

O uso de aprendizado de máquina e outros métodos de inteligência artificial vem se intensificando, não só no IFSC/USP como em outras instituições no Brasil e no exterior. Para diagnóstico médico e monitoramento ambiental, espera-se uma revolução nos próximos anos.

Rui Sintra – Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

22 de junho de 2022

Laboratório Multiusuário de Cristalografia Estrutural (LaMuCrEs): Uma infraestrutura de excelência no IFSC/USP

Profs. Javier Ellena, Eduardo Ernesto Castellano e Alzir Azevedo Batista

Sob a coordenação do Prof. Eduardo Castellano, que deu continuidade ao trabalho pioneiro iniciado pela Profª Yvonne Primerano Mascarenhas, o LaMuCrEs – Laboratório Multiusuário de Cristalografia Estrutural, alocado no Instituto de Física de São Carlos (IFSC/USP), desde muito cedo se apresentou como uma das principais infraestruturas dedicadas à área de cristalografia, com uma destacada atuação em diversas áreas, tais como a determinação de estruturas moleculares por difração de raios X e a correlação entre conformação e propriedades fisicoquímicas e biológicas dos compostos estudados. Tudo isso graças à existência de uma série de difratômetros específicos e únicos existentes no hemisfério sul, que a partir do ano 2000 ficaram disponíveis para todos os cientistas que quisessem utilizá-lo.

Além de sua atuação em nível acadêmico, o LaMuCrEs também atuou ao nível de pesquisas aplicadas e colaborações com as indústrias, com inúmeras contribuições de transferência, principalmente nas áreas relacionadas aos estudos de materiais industriais e seu controle de qualidade, desenho e controle de sistemas de detecção, indústrias da área extrativas de minerais regionais e nacionais, indústrias farmacoquímicas e farmacêuticas, e catalizadores para indústria de petróleo, entre outras. Assim, o LaMuCrEs tornou-se uma referência na caracterização do estado sólido, tornando a cidade de São Carlos em um centro de excelência nessa área.

Com o passar dos anos, os equipamentos foram ficando obsoletos, fazendo com que a eficácia e rapidez das pesquisas começassem a ficar comprometidas devido aos inevitáveis avanços da tecnologia. Ao detectar essas dificuldades iniciais, a equipe do LaMuCrEs iniciou, desde há cinco anos a esta parte, um processo de revitalização e modernização de todo o laboratório, que atualmente – e mantendo suas características de multiusuário – volta a ocupar o seu lugar de destaque na área de cristalografia.

Uma das novas áreas dedicadas à pesquisa

Prof. Javier Ellena: “Muito trabalho, muito esforço, mas valeu a pena”

Em primeiro lugar, a equipe conseguiu ver aprovado um projeto temático – PRONEX – iniciado em 2017, para a aquisição de um equipamento de última geração para difração de raios-x de monocristal – único na América Latina -, que já está devidamente montado e em funcionamento, com os apoios da FAPESP e do CNPq, e que trará uma dinâmica muito grande a toda a atividade do laboratório. “Voltamos a estar agora em condições plenas para que qualquer pesquisador do Brasil ou do exterior possa realizar os seus trabalhos neste laboratório, inclusive enviando as suas amostras para serem analisadas. O novo equipamento vai permitir fazer experimentos com altíssima qualidade e realizar coisas que até agora não conseguíamos fazer, como, por exemplo, executar medidas em função de temperatura ou  da pressão, medidas Raman, etc.. Contudo, a principal característica é a qualidade dos dados que esse equipamento pode fornecer, de forma extremamente rápida e precisa. Por exemplo, a análise de uma amostra de um mineral demora apenas dois minutos. Tudo isso permitirá alargar o nosso conjunto de colaborações nacionais e internacionais. Foram anos de trabalho intenso, de esforço”, explica o Prof. Javier Ellena, um dos pesquisadores responsáveis pelo LaMuCrEs.

Em segundo lugar e com o apoio incondicional dos diretores do IFSC/USP, Profs. Vanderlei Bagnato e Osvaldo Novais de Oliveira Junior, o velho laboratório alocado no Instituto foi readequado e redimensionado para suas novas missões, apresentando agora espaços devidamente divididos e organizados em uma área total de 200m2. “Com este novo espaço os pesquisadores poderão, a partir de agora, ter condições adequadas para desenvolverem seus trabalhos. Foram mais de cinco milhões de reais investidos na modernização do LaMuCrEs, não apenas com a aquisição e instalação do novo equipamento, mas também com a contratação da sua manutenção por um período de sete anos”. conclui o pesquisador.

O Comité Gestor do LaMuCrEs é constituído pelos Prof. Yvonne Primerano Mascarenhas, Eduardo Ernesto Castellano, Javier Ellena e Alzir Azevedo Batista.

Equipamento de última geração para difração de raios-x de monocristal

Rui Sintra – Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

21 de junho de 2022

Webinar: “Como escolher a melhor revista para publicar seu artigo usando a “Web of Science”

Escolher a melhor revista científica para publicar seu artigo requer uma série de estratégias que podem incluir critérios como escopo, corpo editorial, periodicidade e alcance. Para além desses elementos básicos, indicadores e métricas podem ser adicionados para estabelecer o fator de impacto, meia-vida, índice de imediaticidade, etc. Tais informações podem ser obtidas em índices internacionais multidisciplinares de citações como o Journal Citation Reports.

Registre-se para participar.

Na véspera do evento, enviaremos por e-mail um lembrete e o link da transmissão do Webinar.

Data: 23 de junho de 2022
Horário: 14h-16h
Inscrições (CLIQUE AQUI)

== PROGRAMAÇÃO ==

– Contexto geral da publicação científica na atualidade
– Ranking internacional de revistas científicas: Journal Citation Report (JCR) e seus indicadores
– Fator de Impacto: o que é e para que serve
– Outras métricas de avaliação de revistas
– Como selecionar a melhor revista para seu artigo
– Exemplos e casos práticos das áreas de Biológicas, Exatas e Humanas

Transmissão online.

Instrutora:   Deborah Dias – Especialista de Treinamento a clientes – Clarivate

Organização: Agência USP de Gestão da Informação Acadêmica (AGUIA) em parceria com a Clarivate

Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

20 de junho de 2022

Seminário Especial aborda “Desafios na Educação e Ciência no Brasil”

O Instituto de Física de São Carlos (IFSC/USP) recebe no próximo dia 22 de junho, às 16h00, no Auditório “Prof. Sérgio Mascarenhas”, o Seminário Especial subordinado ao tema “Desafios na Educação e Ciência no Brasil – Face ao negacionismo e os cortes no financiamento”.

Este seminário contará com as presenças do Prof. Dr. Ricardo Magnus Osório Galvão, pesquisador do Instituto de Física da USP, e da Drª Mariana Moura, do Instituto de Ciência e Tecnologia da UNIFESP.

Este evento ocorrerá de forma híbrida, podendo também ser assistido, ao vivo, através do Canal Youtube do IFSC/USP (VER AQUI).

Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

20 de junho de 2022

TV Câmara São Carlos e CEPOF-IFSC/USP firmam parceria para a exibição de programas educacionais e científicos

Prof. Vanderlei Bagnato, Luiz Francisco Francelin, Vereador Roselei Françoso e a assessora educacional do CEPOF-IFSC/USP Mirian Barbosa

O presidente da Câmara Municipal de São Carlos, Vereador Roselei Françoso (MDB), recebeu no passado dia 10 de junho, o diretor do Centro de Pesquisas em Óptica e Fotônica (CEPOF), que se encontra alocado no IFSC/USP, Prof. Vanderlei Salvador Bagnato, que esteve acompanhado pela assessora educacional, Mirian Barbosa.

Acompanhado do coordenador da TV Câmara São Carlos, Luiz Francisco Francelin, Roselei colocou a grade da TV à disposição da produção educacional feita pela USP e, em especial, pelo programa coordenado pelo Prof. Bagnato. “O professor Bagnato já tem uma produção de conteúdo consagrada e muito interessante. E agora, temos mais um canal aberto para exibir e levar um pouco mais de conhecimento para toda a população da cidade”, frisou Roselei.

Segundo o presidente da Câmara, o canal aberto em sinal digital da TV Câmara, no ar desde fevereiro deste ano após celebração de convênio com a Câmara dos Deputados, tem o objetivo de estreitar a relação com a população. “Nós queremos aproximar o Legislativo do cidadão são-carlense, até para que ele possa fiscalizar e cobrar os parlamentares e o Poder Público e também aproveitar esse canal para exibir o conteúdo de excelência produzido pelas nossas instituições de pesquisa e ensino”, salientou o presidente da Câmara.

Para o Prof. Vanderlei Bagnato, esta iniciativa é bastante importante porque irá possibilitar ampliar o acesso aos conteúdos já produzidos, sendo objetivo principal alcançar o maior número possível de pessoas, em especial de alunos dos ensinos fundamental e médio.

Na reunião, ficou definida uma parceria entre as instituições, que possibilitará a exibição na grade de programação da TV Câmara São Carlos dos programas produzidos pelo PROVE, parceira do CEPOF na produção de vídeos educativos e científicos. “A finalidade dessas parcerias é fomentar e qualificar a grade de programas exibidos em parcerias estabelecidas com instituições públicas da cidade, como destacou o coordenador da TV Câmara.

Segundo o Prof. Vanderlei Bagnato, o IFSC/USP gera muito material educativo que tem a finalidade de contribuir para a melhoria da educação dos jovens fora do ambiente escolar. Exposições, aulas especiais e programas que são difundidos nas mídias sociais – Youtube e canais de TV próprios -, constituem, segundo Bagnato, as bases onde se procura completar a educação que é ministrada a esses jovens em suas escolas a. “Nosso foco é produzir e divulgar programas com conceitos de matemática, história da ciência e como as descobertas científicas são importantes para a humanidade e para o meio ambiente; todos esses valores têm que ser difundidos não só aos jovens, como também ao cidadão comum, que merece e deve entender como é que a ciência está contribuindo para a sua melhoria de vida, e/ou como a ciência pode ser incorporada ao seu cotidiano para essa mesma finalidade”, sublinha o cientista, que complementa, afirmando que “Fazer uma parceria com um canal público, onde estaremos levando periodicamente programas educativos e culturais para toda a população de São Carlos e região, é uma das atividades que a Universidade faz com prazer, entendendo que é uma de suas obrigações dentro do atual panorama de necessidades para a melhoria da educação em todo o país”.

A TV Câmara pode ser sintonizada em TV aberta/digital no canal 49.3 UHF.

Rui Sintra – Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

15 de junho de 2022

Artigos do IFSC/USP mais citados no Essential Science Indicators – Bimestre Jan/Fev 2022

 

A Biblioteca do IFSC apresenta os artigos científicos produzidos pelos seus docentes e pesquisadores que foram identificados como interessantes no bimestre de jan/fev de 2022 pela Essential Science Indicators, um dos produtos de citação da agência Clarivate Analytics/Thomson Reuters. Lembramos que o acesso ao texto completo é liberado para comunidade USP ou quem tem acesso ao Portal CAPES.

Para mais informações: sbiprod@ifsc.usp.br

 

ÁREA:   Agricultural Sciences

Development of cellulose-based bactericidal nanocomposites containing silver nanoparticles and their use as active food packaging

 

ÁREA:   Chemistry

A review on chemiresistive room temperature gas sensors based on metal oxide nanostructures, graphene and 2D transition metal dichalcogenides

Emergence of complexity inhierarchically organized chiral particles

Folding of xylan onto cellulose fibrils in plant cell walls revealed by solid-state NMR

Molecular docking and structure-based drug design strategies

Plasmonic biosensing: focus review

Yolk-shelled ZnCo2O4 microspheres: Surface properties and gas sensing application

 

ÁREA:   Clinical Medicine

Features of third generation photosensitizers used in anticancer photodynamic therapy: Review

 

ÁREA:   Computer Science

Clustering algorithms: A comparative approach

 

ÁREA:   Materials Science

A non-volatile organic electrochemical device as a low-voltage artificial synapse for neuromorphic computing

 

ÁREA:   Molecular Biology & Genetics

Functional and evolutionary insights from the genomes of three parasitoid Nasonia species

 

ÁREA: Pharmacology & Toxicology  

 

ADMET modeling approaches in drug discovery

 

ÁREA:   Physics

Antiproton flux, antiproton-to-proton flux ratio, and properties of elementary particle fluxes in primary cosmic rays measured with the Alpha Magnetic Spectrometer on the International Space Station

Boosting the sensitivity of Nd3+-based luminescent nanothermometers

Bose-Einstein condensation: twenty years after

Generalized Geometric Quantum Speed Limits   

Observation of the Identical Rigidity Dependence of He, C, and O Cosmic Rays at High Rigidities by the Alpha Magnetic Spectrometer on the International Space Station

Observation of new properties of secondary cosmic rays lithium, beryllium, and boron by the alpha magnetic spectrometer on the International Space Station

Precision measurement of the boron to carbon flux ratio in cosmic rays from 1.9 GV to 2.6 TV with the Alpha Magnetic Spectrometer on the International Space Station

Precision measurement of the helium flux in primary cosmic rays of rigidities 1.9 GV to 3 TV with the Alpha Magnetic Spectrometer on the International Space Station

Precision measurement of the proton flux in primary cosmic rays from rigidity 1 GV to 1.8 TV with the Alpha Magnetic Spectrometer on the International Space Station

Revisiting the optical bandgap of semiconductors and the proposal of a unified methodology to its determination

The Kuramoto model in complex networks

The Pierre Auger Cosmic Ray Observatory

Towards understanding the origin of cosmic-ray positrons

 

ÁREA:   Space Science

Detection of variable VHE γ-ray emission from the extra-galactic γ-ray binary LMC P3

Introducing the CTA concept

Multi-messenger observations of a binary neutron star merger

Observation of a large-scale anisotropy in the arrival directions of cosmic rays above 8 x 1018 eV

Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

15 de junho de 2022

Cientistas do IFSC/USP são homenageados com o “Prêmio Trajetória pela Inovação”

Diretor do IFSC/USP Prof. Osvaldo Novais de Oliveira Junior com o premiado Prof.Jarbas Castro Neto – Foto de Marcos Santos (USP)

Homenagem da USP aos que se destacaram na produção de inovações científicas, tecnológicas ou culturais

Numa iniciativa da Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação da USP (PRPI/USP), foi atribuído no dia 07 de junho p.p o “Prêmio USP Trajetória pela Inovação” a diversos cientistas da Universidade de São Paulo que se destacaram, ao longo de suas atividades acadêmicas, na produção de inovações científicas, tecnológicas ou culturais, contribuindo para a excelência da USP e para o desenvolvimento do País.

Na cerimônia de entrega dos Prêmios, o coordenador  da Agência USP de Inovação (Auspin), Luiz Henrique Catalani, afirmou que a USP, em seus 88 anos de existência, tornou-se a universidade brasileira que mais produz ciência e também soluções na área de inovação. “Temos 2.284 empresas com DNA USP, ou seja, empresas que nasceram a partir de pessoas da Universidade. Dos 21 unicórnios brasileiros, sete nasceram na USP; dois terços de seus fundadores são formados pela USP; e, ao todo, esses 21 unicórnios empregam 2.400 alumni da Universidade. Geramos cientistas inovadores e empreendedores, sendo importante celebrar aqueles que têm se destacado e que devem ser reconhecidos pela inovação, uma atividade que agora é reconhecida como atividade-fim da Universidade”.

Dos seis prêmios, três vieram para a USP de São Carlos

Receberam o prêmio os professores Antonio Adilton Oliveira Carneiro (Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto – FFCLRP), Akemi Ino (Instituto de Arquitetura e Urbanismo – IAU/USP São Carlos), Daniela Prócida Raggio (Faculdade de Odontologia – FO), Jarbas Caiado de Castro Neto (IFSC/USP São Carlos), Maria Rita dos Santos e Passos Bueno (Instituto de Biociências – IB) e Sérgio Mascarenhas de Oliveira (IFSC/USP São Carlos e Instituto de Estudos Avançados – IEA), in memoriam.

Prêmio USP Trajetória pela Inovação: Jarbas Caiado de Castro Neto (IFSC); Antonio Adilton Oliveira Carneiro (FFCLRP); Fausto Medeiros Mendes, representando a laureada Daniela Prócida Raggio (FO); Yvone Mascarenhas, filha do homenageado Sérgio Mascarenhas de Oliveira (in memoriam), Akemi Ino (IAU) e Maria Rita dos Santos e Passos Bueno (IB) – Foto: Marcos Santos (USP)

Para o diretor do IFSC/USP, Prof Osvaldo Novais de Oliveira Junior, trata-se de uma grande honra ter dois agraciados com este “Prêmio Trajetória pela Inovação”. “Inovação é uma das áreas mais relevantes no país e nós precisamos transformar o conhecimento que é gerado nos institutos  de pesquisa das universidades em riqueza para a sociedade e isso é feito através da inovação. São Carlos tem um histórico já longo de contribuições na geração de tecnologia e em particular o nosso Instituto , o que para nós é motivo de grande orgulho ter dois agraciados entre os premiados pela USP – Os Profs. Jarbas Caiado Neto e Sérgio Mascarenhas (in memoriam).

Prof.Vanderlei Bagnato

Já na opinião do Prof. Vanderlei Salvador Bagnato, coordenador do Grupo de Óptica do IFSC/USP, estrutura onde pertence o Prof. Jarbas Caiado Neto “A USP, por intermédio do “Prêmio Trajetória pela Inovação”, procura valorizar uma atividade que está hoje no discurso e nas ações do governo, bem como em praticamente todos quantos se propõem dirigir instituições brasileiras”, Para o Prof. Bagnato, a necessidade da inovação é a necessidade de fortalecer a transformação do conhecimento em riqueza de forma disseminada para a população, para a melhoria da economia brasileira e para fortalecer a ação social. “Através da inovação, as universidade podem também gerar novos empregos, com novos produtos destinados a solucionar problemas da sociedade. Esse ano, o fato de termos tido dois cientistas do IFSC/USP entre os cinco ganhadores do prêmio mostra a vitalidade que a nossa unidade tem para a realização da inovação tecnológica, que converte o conhecimento em benefícios para a própria sociedade”, enfatiza o pesquisador.

Quanto ao Prof. Jarbas Castro Neto, um dos ganhadores do prêmio, apresenta uma trajetória enorme, com inúmeras contribuições para a formação de diversas empresas em São Carlos e região, tendo gerado muitos empregos e, com eles, muitos produtos que hoje apoiam as pessoas em diversos segmentos.

Quanto ao segundo premiado, o Prof. Sérgio Mascarenhas (in memoriam) foi o fundador do IFSC/USP e desde o início deu diretrizes para que aqui se estabelecessem atividades de inovação, quando essa palavra ainda não estava no dicionário das instituições de pesquisa do Brasil.

Sublinhando igualmente o prêmio atribuído à Profª Akemi Ino (IAU/USP), o Prof. Vanderlei Bagnato classificou essa conquista como uma valorização das obras e a maneira como o Instituto de Arquitetura e Urbanismo lida com a produção e com a preservação da arquitetura no País. “Tudo isso coloca a cidade de São Carlos e Universidade de São Paulo dentro do panorama social nacional. É um orgulho muito grande para a cidade que dos seis premiados de toda a USP, três sejam do Campus USP de São Carlos e dentre eles dois sejam do IFSC/USP.

Criado em 2016, o prêmio tem como objetivo reconhecer e valorizar as ações dos docentes da USP que se destacaram, ao longo de suas atividades acadêmicas, na produção de inovações científicas, tecnológicas ou culturais, contribuindo assim para a excelência do resultado institucional e para o desenvolvimento socioeconômico do País.

(Com colaboração de Erika Yamamoto – USP)

Rui Sintra – Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

14 de junho de 2022

O Quadriculo – Uma figura geométrica intermediária entre o quadrado e o círculo

Figura 1 – A equação da superelipse em coordenadas cartesianas, com a ≠ 0 e b ≠ 0 e o expoente p ≥ 0. O quadrículo corresponde ao caso a = b e p ≥ 2 (Crédito: R. N. Onody)

Por: Prof. Roberto N. Onody *

Confesso que quando fui escolher o título desse trabalho, hesitei muito antes de optar pela palavra quadrículo. Isso porque, nos dicionários esse termo já existe, mas com significado bem diferente daquele que eu quero emprestar aqui. Nos dicionários, quadrículo significa quadrado pequeno.

Figura 2 – Curvas da superelipse para os valores a = b = 1, temos: (A) Um formato Apple Watch, para p = 4; (B) Um formato estrela, para p = 1/3 (Crédito: R. N. Onody)

Peço vênia ao leitor mais atento às questões de língua portuguesa ou brasileira, para atribuir à palavra quadrículo um novo significado – uma figura geométrica intermediária entre o quadrado e o círculo. Dessa maneira, quadrículo é um neologismo incompleto construído por aglutinação. O acento tônico é necessário para distinguir da primeira pessoa (no tempo presente) do verbo quadricular. A palavra inglesa correspondente é – squircle (square + circle), com o mesmo significado matemático. Descartei, por sua tenebrosa sonoridade, a alternativa do neologismo quadráculo.

Há que se tomar cuidado com a palavra quadrículo (squircle), pois ela tem 2 significados matemáticos bem diferentes [1].

Um deles se refere à curva de uma superelipse.  A superelipse foi proposta por Gabriel Lamé em 1818 (veja Figura 1). Na equação, temos os ´semieixos´ a ≠ 0 e b ≠ 0 e o expoente p ≥ 0. O quadrículo corresponde ao caso particular em que os ´semieixos´ são iguais (a = b) e o expoente p ≥ 2. Quando p = 2, temos o círculo de raio a e no limite p → ∞ obtemos, assintoticamente, o quadrado com aresta 2a.

Vemos na Figura 2 (A) que, com a = b = 1 e p = 4, o quadrículo ganha a forma de um design da Apple. Para o parâmetro p no intervalo (0,2), a curva adquire o formato de uma estrela de 4 pontas [Figura 2 (B)]. No limite p → 0, ela colapsa no formato do sinal aritmético +.

Figura 3 – A equação do quadrículo de Fernández Guasti em coordenadas cartesianas. Diferentemente do parâmetro p da superelipse (que só forma um quadrado no limite do infinito), o parâmetro s varia continuamente no intervalo [0,1]. Para s = 0 é um círculo de raio r, para s = 1 é um quadrado de aresta 2r (para |x| ≤ r e |y| ≤ r) (Crédito: R. N. Onody)

Uma outra definição matemática do quadrículo, foi proposta por Fernández Guasti [2], ao estudar padrões de difração da luz através de aberturas com contornos na forma do quadrículo (Figura 3).

Na Figura 4, temos as curvas do quadrículo de Fernández Guasti (que abreviaremos FG) para diferentes valores do parâmetro s [3]. Para s = 0 é um círculo de raio r e para s = 1 é um quadrado de aresta 2r.

Figura 4 – Curvas do quadrículo FG para vários valores do parâmetro s. Ela é um círculo para s = 0 e um quadrado para s = 1 (para |x| ≤ r e |y| ≤ r) (Crédito: ref. [3])

Se na equação do quadrículo de FG (Figura 3) fizermos r = s, obteremos uma outra transição contínua para 0 ≤ s ≤ 1 [4]. Só que, desta vez, começa como um único ponto em s = 0 que se transforma num quadrado com aresta de tamanho 2 em s = 1 (Figura 5).

O quadrículo de FG pode ser estendido para três dimensões (veja equação na Figura 6). Nesse caso, temos em s = 0 uma esfera e em s = 1, um cubo (Figura 7).

Figura 5 – Curvas do quadrículo FG quando r = s para diferentes valores do parâmetro s. Ela é um ponto para s = 0 e um quadrado de aresta igual a 2 para s = 1 (para |x| ≤ 1 e |y| ≤ 1) (Crédito: ref. [4])

A palavra ´squircle´ também tem sido usada como uma forma de pensar, agir e desenvolver novas habilidades num mundo cada vez mais complexo e competitivo. Nesse contexto, o objetivo é fazer caminhar juntos a razão (square) e a intuição (circle) de maneira sinérgica [5].

 

 

Figura 6 – Equação da versão tridimensional. Crédito: ref. [3]

 

 

Figura 7 – Superfícies 3D. Para s = 0 temos uma esfera de raio r, para s = 1 temos um cubo com aresta 2r para |x| ≤ r, |y| ≤ r e |z| ≤ r. (Crédito: ref. [3])

 

 

 

 

 

*Físico, Professor Sênior do IFSC – USP

e-mail: onody@ifsc.usp.br

Para acessar todo o conteúdo do site “Notícias de Ciência e Tecnologia” dirija a câmera do celular para o QR Code abaixo

 

 

 

 

 

Compartilhe o artigo

 

 

 

(Agradecimento: ao Sr. Rui Sintra da Assessoria de Comunicação)

Referências:

[1] Squircle — from Wolfram MathWorld

[2] doi:10.1016/j.ijleo.2005.01.018 (uam.mx)

[3] Chamberlain Fong, squircular calculations (arxiv.org)

[4] Chamberlain Fong, Mappings for Squaring the Circular Disc (arxiv.org)

[5] Francis Cholle, “Squircle: a new way to think for a new world”, ed. Squircle Academy (2020).

Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

10 de junho de 2022

Futuros professores dão aulas com novos métodos de trabalhar conteúdos

Alunos da E.E Aracy Leite Pereira Lopes protagonizam ação

Numa interessante ação de integração dos alunos do Curso Interunidades de Licenciatura em Ciências Exatas do IFSC/USP com as escolas do ensino médio sediadas na cidade de São Carlos, realizou-se no dia 31 de maio, na Escola Estadual Aracy Leite Pereira Lopes, um minicurso de física subordinado ao tema “Conservação de Energia”.

Este minicurso traduziu-se em uma aula de física com a participação de dois futuros professores, inserida no Estágio Supervisionado de Ensino de Física, disciplina obrigatória de Habilitação em Física  do citado curso, uma ação que foi coordenada pelo docente do IFSC/USP, Prof. Marcelo Barros. “Esta ação foi preparada como parte de uma disciplina eletiva para os alunos do ensino médio – 1ª, 2ª e 3ª séries. O que se notou nesta ação foi que os alunos se engajaram bastante nesta aula, já que ela ocorreu fora dos parâmetros normais, fazendo com que todos eles participassem mais ativamente. Os futuros professores que participaram desta aula mostraram-se perfeitamente sintonizados com a metodologia de ensino utilizada, tendo implementado uma aula muito ativa, com a criação de trabalhos em grupo, interação com materiais e realização de testes conceituais, algo que deixou para trás a imagem de uma aula tradicional, o que, de fato, entusiasmou os alunos”, enfatiza o Prof. Marcelo Barros, que transportou para essa aula uma miniatura de montanha-russa (apoio e patrocínio do Centro de Pesquisa em Óptica e Fotônica – CEPOF – IFSC/USP), tendo, a partir daí e junto com os futuros professores, motivado os alunos a compreenderem os conceitos de energia.

Bruna Borges Freri (21), aluna do último ano do Curso Interunidades de Licenciatura em Ciências Exatas – Habilitação em Física, foi uma das futuras professoras que participou deste minicurso, relatando que é sempre interessante pensar e criar novos métodos de trabalhar os conteúdos. “Principalmente neste período pós-pandemia, a atenção dos alunos está bem dispersa; já era esperado que isso acontecesse, principalmente por causa dos mecanismos que eles utilizavam para estudar. Assim, quando usamos as metodologias mais ativas, vemos que os alunos se entregam totalmente às ações, tornando-se protagonistas, o que faz com que a participação deles seja muito maior. Está sendo muito interessante toda esta experiência, algo que certamente levarei para a minha futura vida profissional, um contato que está sendo muito valioso para mim”, sublinha Bruna, que  já está dando aulas de matemática e que já aplica, com muito sucesso, algumas dessas metodologias.

Brenda Santos é aluna do 1ºA da Escola Estadual Aracy Leite Pereira Lopes e, tal como seus colegas, participou ativamente desta aula. “Está sendo muito interessante ter estes conhecimentos sobre um tema tão vasto como este “Conservação de Energia”, e principalmente observar quais são e como se revelam os conceitos de energia potencial, energia gravitacional e energia cinética, através da miniatura de uma montanha-russa que o Prof. Marcelo trouxe para a aula. Foi muito legal”, comentou a jovem estudante que, apesar do seu entusiasmo com a aula, pretende seguir a área de psicologia, ou de direito.

A Coordenação do Curso Interunidades de Licenciatura em Ciências Exatas do IFSC/USP está a cargo da Profª Cibelle Celestino Silva.

Por último, um destaque muito particular para a Escola Estadual Aracy Leite Pereira Lopes, um estabelecimento de ensino que está sendo devidamente melhorado em termos de estrutura, extraordinariamente limpo e arrumado, com um ambiente interno bastante calmo e acolhedor. Parabéns à diretoria da escola.

Rui Sintra – Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

10 de junho de 2022

Pesquisador-colaborador e aluno do IFSC/USP são premiados pela SBQ e RSC

O Prof. Dr. Alzir Azevedo Batista, docente e pesquisador do Departamento de Química da Universidade Federal de São Carlos (DQ-UFSCar), que desde há anos mantém uma colaboração ininterrupta com o Grupo de Cristalografia do IFSC/USP, foi homenageado com a outorga da Medalha “Simão Mathias” no dia 31 de maio p.p pela Sociedade Brasileira de Química (SBQ), no decurso da abertura da 45ª reunião anual da instituição, ocorrida na cidade de Maceió.

Desenvolvendo no IFSC/USP pesquisas para o desenvolvimento de fármacos, principalmente para o tratamento de câncer com base em metais, bem como na parte estrutural, que é bastante importante para o desenvolvimento global de suas pesquisas, para o homenageado, o significado desta premiação é um reconhecimento pelos trabalhos realizados ao longo do tempo. “Ninguém faz ciência sozinho e para ter conquistado este reconhecimento de nossa comunidade foi através de um trabalho árduo, longo, mas com muito apoio, principalmente de meus colegas e dos meus colaboradores. E, dentro desse lote de colaboradores, cito alguns do IFSC/USP, como os Profs. Eduardo Castellano, Javier Elenna, Glaucius Oliva, Otaciro Nascimento e Osvaldo Novais de Oliveira Júnior, entre outros, que desde sempre me deram apoio em toda a minha longa carreira e que contribuíram grandemente para este prêmio”, realça o cientista.

Para o premiado, a medalha conquistada tem duas faces: uma dedicada aos colegas do IFSC/USP e a outra em agradecimento a todos os colegas do Departamento de Química da UFSCar, de onde o Prof. Alzir é oriundo. “Sempre tive um grande apoio dos colegas do meu departamento e da área biológica, bem como de outros que estão fora de São Carlos, como são os casos da Profª Denise (UNIFRAN) e do Prof. Pavan (UNESP de Araraquara), entre outros, não esquecendo, claro, os meus alunos de graduação e de pós-graduação”, complementa o pesquisador.

A Medalha Simão Mathias foi instituída pela Diretoria e Conselho Consultivo da SBQ para homenagear personalidades que se destacaram em suas contribuições para o desenvolvimento da Química, em nosso país, e por importantes contribuições à Sociedade Brasileira de Química.

“Prêmio Jovem Pesquisador” atribuído pela SBQ e RSC

Na mesma cerimônia realizada pela Sociedade Brasileira de Química foi atribuído o “Prêmio Jovem Pesquisador” ao aluno de Pós-Doutorado do IFSC/USP, João Honorato de Araújo Neto, instituído conjuntamente pela SBQ e Royal Society of Chemistry (RSC), tratando-se de um reconhecimento pelo trabalho desenvolvido por jovens pesquisadores no Brasil nas mais diversas áreas, quer através de publicações científicas e pesquisas inovadoras, quer ainda na amplitude de suas colaborações no decurso de seus trabalhos, estando este prêmio dividido em duas categorias – para doutorandos e para doutorados concluídos recentemente.

João Honorato afirma que o destaque de toda a sua obra se deve a uma espécie de “teia” onde sobressaem os Profs. Eduardo Castellano, Javier Ellena e Alzir Batista. “Fiz o mestrado e doutorado com o Prof. Alzir, sendo que nossa área, que é a biorgânica, é completamente interdisciplinar. Não somos especialistas em técnicas, mas sabemos utilizar o que há de bom em todas elas, e nesses trabalhos realizados com o Prof. Alzir tive a oportunidade de trabalhar com várias técnicas espectroscópicas em síntese e caracterização de compostos. Tive também contato com biólogos que faziam e nos ensinavam as aplicações de novos compostos, principalmente para os tratamentos de câncer, tuberculose, leishmaniose e Doença de Chagas”, enfatiza João.

Foi essa característica interdisciplinar que permitiu a João Honorato  conhecer de tudo um pouco e poder saber qual a informação que cada técnica poderia fornecer. “A coroa do bolo veio através dos Profs. Eduardo Castellano e Javier Elenna, que permitiram que eu conhecesse a designada “rainha das técnicas”, que é a caracterização do estado sólido – a difração de raios-x -, algo que foi fantástico. Tudo isso contribuiu, creio eu, para que conquistasse este prêmio de que muito me orgulho”, comemora o pesquisador.

Rui Sintra – Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

9 de junho de 2022

Atualização da produção científica do IFSC/USP em maio de 2022

Para ter acesso às atualizações da Produção Científica cadastradas no mês de maio de 2022,  clique AQUI ou acesse o Repositório da Produção USP, clicando AQUI.

A figura acima foi extraída do artigo intitulado “Functional graphitic carbon (IV) nitride: A versatile sensing material”, publicado na “Coordination Chemistry Reviews” (VEJA AQUI)

 

 

 

 

 

Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

7 de junho de 2022

O regresso das visitas monitoradas às unidades de ensino e institutos de pesquisa da USP

Suspensa desde março de 2020 devido à pandemia de covid-19, a programação relativa às visitas monitoradas (gratuitas) às unidades de ensino e institutos de pesquisa da USP, bem como aos museus e centros de cultura, integradas no programa “USP e as Profissões”, regressam já a partir deste mês de junho com a consequente reabertura dos agendamentos.

Estas visitas monitoradas são especialmente dedicadas aos estudantes do ensino médio e dos cursos pré-vestibulares que estão em processo de escolha de carreira para ingresso no ensino superior, promovendo assim um contato direto dos estudantes e de seus familiares com os locais onde são ministrados os cursos e desenvolvidas as pesquisas da Universidade, o que permite visitar salas de aula e laboratórios, e interagir com pesquisadores e técnicos.

Confira abaixo as datas de agendamento e das visitas nas unidades do Campus USP de São Carlos:

29 de agosto 08h00 
Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) São Carlos;
100 Vagas – Inscrições a partir de 01/08 ;

29 de agosto 08h00 e 14h00
Centro de Divulgação Científica e Cultural (CDCC) São Carlos;
50 Vagas – Inscrições a partir de 01/08;

29 de agosto 14h00 
Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU) São Carlos;
90 Vagas – Inscrições a partir de 01/08;

29 de agosto 14h30
Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC); 200 Vagas – Inscrições a partir de 01/08;

30 de agosto 08h00 e 14h00 
Centro de Divulgação Científica e Cultural (CDCC) São Carlos;
50 Vagas – Inscrições a partir de 01/08;

30 de agosto 08h00 
Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) São Carlos;
100 Vagas – Inscrições a partir de 01/08;

30 de agosto 14h00 
Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU) São Carlos;
90 Vagas – Inscrições a partir de 01/08;

O agendamento para visitar o Instituto de Física de São Carlos (IFSC/USP) inicia-se no dia 01 de agosto, oferecendo, no total, 240 vagas, sendo que as visitas se realizam nos dias 29 e 30 de agosto, às 13h00.

Para se inscrever, a partir do dia 01 de agosto, clique AQUI.

Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

7 de junho de 2022

Contratação de 08 docentes para o Instituto de Física da USP (IFUSP)

Estão abertas até às 23h59min do dia 15 de junho as inscrições para o processo seletivo para contratação de 08 (oito) docentes por prazo determinado (até 31/07/23), como Professor Contratado junto ao Departamento de Física Experimental, na Área de Física.

Os pedidos de inscrição deverão ser feitos, exclusivamente, por meio do link (VER AQUI).

O Edital, bem como as orientações para o processo, estão disponíveis AQUI.

 

 

Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

6 de junho de 2022

Simpósio de Homenagem aos 70 anos do Prof. Roberto Mendonça Faria

“Tenho que dar um respiro… Ninguém faz nada sozinho… Estou muito emocionado …”

Foram muitos os que quiseram demonstrar, quer presencialmente, quer de forma remota, o apreço, carinho, admiração e respeito pelo docente e pesquisador do IFSC/USP, Prof. Roberto Mendonça Faria, durante o simpósio que ocorreu no dia 03 de junho, no Auditório “Prof. Sérgio Mascarenhas” e que marcou o septuagésimo aniversário do cientista, sublinhando, inevitavelmente, todo o trabalho desenvolvido ao longo de várias décadas em prol da ciência brasileira. Os depoimentos de colegas, técnicos, ex-alunos, parceiros nacionais e de além fronteiras, bem como de familiares, marcaram este evento carregado de emoção para todos os participantes, mas de uma forma muito especial para o homenageado.

Visivelmente emocionado em todos os momentos deste evento, o Prof. Roberto Mendonça Faria fez questão de sublinhar, durante seu discurso, que o trabalho desenvolvido ao longo dos anos e que viria a ser integrado em uma rede vastíssima  do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Eletrônica Orgânica, nada teria sido se não fosse o trabalho árduo desenvolvido pela vasta equipe que tem acompanhado o pesquisador. Para o homenageado, essa simbiose se deu não só às atividades que foram, e estão sendo desenvolvidas, mas também a um conjunto de relações humanas, onde as pessoas se tornaram muito amigas.

“Ninguém faz nada sozinho… Não foi o Faria que foi o grande agregador! Foram as EQUIPES que contribuíram para que tudo acontecesse e uma característica que sempre me definiu é o fato de ser muito teimoso, algo que acabou me ajudando em algumas coisas (…) Estou muito emocionado (…)”, sublinhou o homenageado.

Para conferir como ocorreu este simpósio, acesse o link do Youtube clicando na imagem abaixo.

Rui Sintra – Assessoria de Comunicação – IFSC/USP

Fale conosco
Instituto de Física de São Carlos - IFSC Universidade de São Paulo - USP
Obrigado pela mensagem! Assim que possível entraremos em contato..