Apresentação do programa

O Programa de Pós-Graduação em Física foi estabelecido em 1969 quando ainda fazia parte da Escola de engenharia de São Carlos (EESC). Em 1971, com a criação do então Instituto de Física e Química de São Carlos (IFQSC) o programa se associou a esse novo instituto. De 1969 a 1975, o programa se caracterizou por possuir uma única área, de Física.

Em 1975, foram criadas duas áreas no programa de Física, a área de Física Aplicada e a de Física Básica. A área de Física Aplicada envolve aspectos da Física Experimental enquanto a área de Física Básica envolve aspectos da Física Teórica.

Em 1994, dentro da área de Física Aplicada, foi criada a ênfase em Física Computacional e em 1999, ocorreu a criação da ênfase em Física Biomolecular dentro da área de Física Aplicada.

Como resultado destas atividades interdisciplinares, foram nucleados grupos de pesquisa com dedicação entre as interfaces da Física e a Biologia, Física e a Saúde e a Física e a Computação.

A ênfase em Física Computacional inclui a utilização de técnicas avançadas de computação para simulações de sistemas complexos, computação de alto-desempenho, arquiteturas de computadores, redes, processamento de imagens, visão artificial, etc.

A ênfase em Física Biomolecular inclui temas como cristalografia de proteínas, biologia estrutural, biofísica molecular, nanotecnologia aplicada a biomoléculas e biocombustíveis.

A interdisciplinaridade do programa fica também evidente pela formação dos alunos do Programa. Na opção Física Biomolecular, por exemplo, a pesquisa é desenvolvida por físicos, bioquímicos, biólogos, farmacêuticos, etc, onde os alunos frequentemente desenvolvem projetos utilizando abordagens diferentes para o mesmo sistema biológico. Um fenômeno parecido acontece na área de Física Computacional, onde físicos, engenheiros eletrônicos, matemáticos e cientistas da computação realizam pesquisa em computação de alto desempenho, visão artificial, computação paralela, visão de invertebrados, modelagem de processos físicos, etc.

A interdisciplinaridade não se limita apenas às opções específicas de Física Computacional e Física Biomolecular, mas permeia a área de Física Básica e Aplicada de uma forma geral. Na área de Ciência dos Materiais (polímeros, cerâmicas, semicondutores, vidros, etc.), físicos, químicos, engenheiros e profissionais de outras especialidades trabalham em conjunto.

Deste modo, como resultado dessa interdisciplinaridade, atualmente oferecemos um ambiente de trabalho diversificado e frutífero para os alunos, que é estimulante e permite uma saudável troca de ideias entre pesquisadores de diferentes áreas de interesse e formação.

Desde a década de 70, um número significativo de pesquisadores do IFSC participa ativamente da área de Desenvolvimento de Instrumentação voltada a construção de equipamentos para pesquisa básica e aplicada, como por exemplo, tomógrafos e espectrômetros de Ressonância Magnética Nuclear, instrumentos ópticos para aplicações nas áreas de medicina, odontologia, indústria, etc. Esses fatos levaram ao estabelecimento de várias empresas de alta tecnologia em São Carlos, atraindo assim pesquisadores de várias áreas da ciência (engenheiros, químicos, bioquímicos, etc) para o IFSC.

O aspecto de ser voltado a pesquisa teórica e experimental, a inovação, ao ensino multidisciplinar e interdisciplinar e a intensa internacionalização do programa resultaram em sua classificação como programa de conceito A de 1975 a 1995. Desde 1995, o programa vem sendo classificado como programa de nota 7 (Nota Máxima) pela CAPES, sendo assim considerado um Programa de Excelência.

Fale com a Pós-Graduação do IFSC
Obrigado pela mensagem! Assim que possível entraremos em contato..